sábado, 23 de abril de 2005

Rosas murchas




Sinto um prenúncio amargo
neste ar que respiro.
Sei-o,
como sei que uma carta recebida
cura feridas antigas
se quem a escreveu
for a causa de tamanha dor.
Aflijo-me.

Lágrimas de rosas murchas caem de meus olhos.
Rosas velhas.
Rosas mortas.

Foste tu, meu amor,
foste tu que partiste,
que me deste rosas em flor
e as deixas morrer agora.

Eu fiquei em terra
e tu foste com as aves.

Subiste aos céus mais azuis.
Tocaste as nuvens mais brancas.
Sentiste a chuva mais límpida
e não me levaste contigo.
Eu fiquei aqui,
só,
sem ti,
com metade de mim mesma comigo
e outra metade bem longe,
perto de ti,
tão longe,
numa distância sem fim.

Ai, como queria sentir a teu lado
o vento no rosto,
o sol aquecendo,
as flores se revelando
numa Primavera de mil cores.
Como queria a teu lado
mergulhar naquilo de que são feitos os sonhos
e sorrir.

Mas tu foste com as aves,
e eu fiquei.
Voaste com as asas que eu mesma te dei,
que fiz a partir do meu coração,
da minha alma.
Tu foste com as aves
e eu fiquei.


Raphaela Blat

23 Lápis no papel:

Blogger Zadowsky escreveu no papel...

Hola! soy el primero en dar un comentario en este post. Poco a poco voy entendiendo un poco mas el portugues, pero chale, es como que muy extraño. Este poema me gusto, en lo poco que le entendi. Y te decia que en tu fotografia me gusta mas la no tratada, la normal si edicion se ve mejor.
Saludos!

02:29  
Blogger AS escreveu no papel...

Isa..onde tens as ruas asas? Vai!...

Um beijo grande

12:08  
Blogger Fernando B. escreveu no papel...


Mas ficaste com os Cravos Vermelhos enfeitando as tuas asas.

Toca a voar!

Beijocas,

13:12  
Blogger D escreveu no papel...

tão profundoo...
sinto o cheirinho a rosas com gotinahs de água por cima..
:')
beijao♥

13:58  
Blogger FataMorgana escreveu no papel...

Isa, que poema lindo! Sabes eu gosto especialmente de flores, das flores que são amores também. E nesse sentido, gosto tanto de flores murchas como das frescas. São valiosas. Ou eu tenho sido afortunada... mas as minhas flores murchas ainda me encantam e tornam as que são viçosas ainda mais vívidas! :)

Beijos

15:28  
Blogger André Ferreira escreveu no papel...

Porque não voas também? :)
As rosas ressuscitarão irrigadas pelas tuas lágrimas

Beijinhos

André

15:40  
Blogger Betty Branco Martins escreveu no papel...

...Vai... vooa até onde o coração te levar!

É Maravilhoso o teu poema.

Um beijo

17:17  
Blogger _Moon_ escreveu no papel...

mais uma vez podia ser escrita tanta coisa!!mas ía estragar mais um lindo poema!!!*

18:21  
Blogger isa xana escreveu no papel...

_moon_ dá-me o endereço do teu blog

beijinho

18:24  
Blogger Squeezy escreveu no papel...

bonitas palavras...

18:48  
Blogger La Luna escreveu no papel...

minha coisa mai linda vim aki pa te dizer que gosto muito muito de ti!!
meio triste este poema mas sempre lindo!
então e essas asinhas maravilhosas de borboleta/anjo??
beijo grande

20:50  
Blogger Estrela do mar escreveu no papel...

...tenho estado adoentada...passei para te desejar a continuação de um bom fim de semana...

Um beijinho*.

21:32  
Blogger Ana escreveu no papel...

"Lágrimas de rosas murchas caem de meus olhos.Rosas velhas.Rosas mortas."
...Das rosas mortas retira o fulgor de uma existência que tem tudo para se erguer no meio da dor e gritar não mais sofrerei.
No passado não há vida...Deixa reflorir as rosas e as outras flores também.
Besitos e bom fim de semana :)

02:26  
Anonymous João escreveu no papel...

Arrepiei-me parecias-me falar de alguem que partiu e só a morte faz alguem partir.
O poema é lindo e se fala de Morte só quer dizer que tu estás cheia de vida essa energia que me fez arreppiar é vida certamente que espero contagie o mundo rapidamente.:) Perdão se intrepretei mal as tuas palavras:)
mesmo murchas as rosas são sempre rosas;)
Um beijo meu
João

06:57  
Blogger alfinete de peito escreveu no papel...

"...voaste com as asas que eu mesma te dei"
esta é linda ;)

Temos dito

Mercador e Grizo

13:14  
Blogger Mónica escreveu no papel...

Tao bonito o teu poema isa :)
Ja tinha saudades de te ler *

15:43  
Blogger agua_quente escreveu no papel...

Lindo, sabes? Um dos melhores que te li. Adorei. Beijos

17:27  
Blogger ricardo escreveu no papel...

que dizer se tudo tá dito?

para quando uma ocmpilação em livro de tantas momentos, sentimentos, angústias, choros e paixões feitas poesia?

aguarda-se.

beijo e continua porque tu tens asas pa voar (eu gosto do teu voo).

beijo

19:22  
Blogger Kal escreveu no papel...

uma pergunta que me passou agora pla cabeça: tens namorado? ou andas a procura de um namorado? de tao romantica que tu es, de tao tragicamente romantica mesmo, parece que andas sempre nas nuvens =P beijo, obgd pelas contastantes visitas

20:22  
Blogger webdreamer escreveu no papel...

Lindo mas triste, o título e o poema.

23:59  
Blogger Jmn escreveu no papel...

E agora venho eu ao teu blog responder à questão colocada, sendo que a resposta é afirmativa, somos conterrâneos...:)
Vai aparecendo que eu vou fazendo o mesmo...
Bjufas

03:25  
Anonymous Taliesin escreveu no papel...

Querida Amiga, esse poema é triste e belo, mas triste
O q houve para escreve tais linhas
Beijos

19:18  
Blogger Paz Kardo escreveu no papel...

Excelente poema... Desconhecia este poema e gostei bastante apesar de ser um pouco triste. Mas acho que ninguém cometia a loucura de te abandonar com esses lindos olhos ;)Beijos e saudações Nómadas!
http://nomadasperdidos.blogspot.com

20:57  

Enviar um comentário

<< Voltar ao papel