quarta-feira, 12 de janeiro de 2005

Queria dizer...

Queria dizer amo-te e não digo.
Queria ter uma vida que não tenho.
Queria ser um doido feliz numa terra insana.
Queria cuspir a verdade a todos.
Queria cuspir a verdade ao mundo.
Queria cuspir a verdade a ti, pai.
A ti que não me vês
porque os teus olhos estão sempre fechados para mim.
Queria ser alguém que não sou.
Queria ser um alguém com coragem,
coragem para gritar o que não grito,
calar o que não calo,
chorar o que não choro.
Queria parar de dizer: estou farto.
Estou farto de mim.
Estou farto da vida que me persegue
e não me deixa ser infinitamente feliz...
Quero somente a vida que muitas vezes me acompanha
e que me faz vibrar de emoção,
que me faz desejar viver para sempre,
que me faz almejar um futuro sorridente.
Todos nós temos duas vidas que estão connosco.
Uma que tentamos abandonar, fugir dela.
Outra que tentamos agarrar, fundir-nos nela.
Mas por vezes fugimos da vida errada.
Fugimos da vida que tão ardentemente desejávamos agarrar.
Queria ter uma vida que não tenho... mas só às vezes,
só quando deixo a vida certa guardada em casa
e trago a vida que não devia à rua acompanhar-me.
Queria dizer amo-te e não digo.
Porquê não digo?
Porque estou com a vida errada?
Não digo amo-te porque não quero revelar-me assim.
Não quero ser despido desta forma.
Oh, queria dizer amo-te e não digo.

Raphaela Blat

para ti vab meu privorito

6 Lápis no papel:

Blogger Caixante Daniela escreveu no papel...

Olá :)
Gostei do Blog... e especialmente deste poema. Muito bom. Muito bem escrito. Conseguiste o que eu acho complicado, passar a "alma" de uma pessoa para palavras. Parabéns! :)

02:50  
Blogger Vab escreveu no papel...

Prima, minha privorita!
Não tenho palavras. Nunca pensei ser possível haver um poema que me mostrasse ao mundo, que não fosse escrito por mim. ai nem sei se o que estou a dizer está bem, se está correcto, se estou a fazer confusão. tenho de ler mil vezes para ver se realmente este poema existe ou nao. A Raphaela Blat é de facto uma das minhas poetisas preferidas. No campo dos poetas equipara-se a Fernando Pessoa, no mundo das pessoas está no mesmo grupo que Fernando Pessoa.
Não tenho palavras.
Claro está que chorei. É tudo tão verdade.
Amo-te Prima
VAB

02:58  
Blogger isa xana escreveu no papel...

ai, primao, inda fico convencida... kero dizer... a Raphaela Blat fica convencida=p
adorei saber k gostaste do poema
equiparares-me, digo, equiparares a Raphaela Blat com Fernando Pessoa é alt elogio, mas inda nao cheguei lá, ela inda nao chegou lá=p
foi feito em menos de 5 minutos, as palavras foram saindo, a escrita foi-se formando... quando vi, já estava pronto.
muitos bêjos

13:38  
Blogger isa xana escreveu no papel...

TintaDeSonhos:
obrigada por teres visitado o meu log, teres gostado, teres gostado do poema e teres deixado comment=p
adoro receber comments, especialmente quando é sobre algo k eu mesma fiz... err... a Raphaela Blat fez=p
bêjitos

13:41  
Anonymous Anónimo escreveu no papel...

carol: bem este poema tá...LINDO, os melhores que alguma vez vi escritos por ti, tás la gaja! tás MUITO lá, parabéns

22:46  
Blogger isa xana escreveu no papel...

aiii gata, obrigada:)
tava dando uma vista de olhos pelo blog quando vi q tava aqui um commentzinho. fikei toda feliz claro. e quando vi k o comment era teu e k tinha um elogio destes.. epah, obrigada mesmo:)

01:15  

Enviar um comentário

<< Voltar ao papel