quarta-feira, 19 de janeiro de 2005

Passa uma borboleta




Passa uma borboleta por diante de mim
E pela primeira vez no Universo eu reparo
Que as borboletas não têm cor nem movimento,
Assim como as flores não têm perfume nem cor.
A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
No movimento da borboleta o movimento é que se move,
O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
A borboleta é apenas borboleta.
A flor é apenas flor.

Alberto Caeiro, Guardador de Segredos

4 Lápis no papel:

Blogger Vab escreveu no papel...

Ai.. é um pouco confuso. Lembro-me deste poema nas aulas de português!!
Mas é bonito, feito por FP, ou neste casa por AC, só podia ser bonito!

18:25  
Anonymous Anónimo escreveu no papel...

Espectro #999 diz ...

Mas esse Alberto Caeiro bebia ou quê ? Então as borboletas não têm côr ? Raios me partam [...] a partir de agora vou ter mais atenção. Já tenho novo 'Ascii'.
Beijocas e inté.

00:28  
Blogger Baixinho escreveu no papel...

Se visse uma baleia com asas diria que era uma ilusão, se visse a isa xana com asas diria que era uma borboleta ;)
******

18:06  
Blogger Instantes Perdidos escreveu no papel...

Obrigado pelo teu comentário no meu blogue...

Sinceramente adoro muito Caeiro...

Beijos e que a poesia esteja sempre presente no teu blogue... Porque a poesia é sensibilidade e vida intrínseca em sentimentos bonitos...

Beijos...

Artur Rebelo

14:48  

Enviar um comentário

<< Voltar ao papel