sábado, 12 de março de 2005

Criança da boneca de pano


de Luis Costa

Vejo uma criança
vagueando pelas ruas
da cidade
que não dorme,
da cidade
fria
e austera.
Não está sozinha.
Uma boneca de pano na pequenina mão
não a deixa só,
acompanha-a na jornada.
Vejo-a ao longe,
enquanto eu mesma caminhava por aquelas ruas,
por entre a gente sem rosto.
Aproximo-me dela.
Tão bonita,
de olhar meigo,
inocente,
porém, triste.
Pergunto-me porque estará triste a criança
e ela,
lendo meus pensamentos,
responde
que precisa de amor.
E uma lágrima,
uma pequena lágrima
cai na sua face rosada.
Abraço-a docemente
e um beijo com ternura ela me dá.
Dou-lhe o pouco amor que tenho
porque o meu coraçao é tão pequeno,
engolido já pela cidade.
E, então, a criança
com a sua boneca de pano na pequenina mão,
dá-me a mão que lhe sobra
e mostra-me que o amor que lhe dei
tem sabor a algodão doce.
O meu coração deixa de ser pequeno,
é tão grande já,
que quer ocupar o meu corpo todo
e saltar fora,
alcançar a gente sem rosto,
alcançar o mundo,
contagiá-lo.
E não mais de olhar triste,
passeia comigo
e entra a meu lado no futuro,
a criança da boneca de pano.


Raphaela Blat

20 Lápis no papel:

Blogger litle lucy escreveu no papel...

Faz me lembrar uma amiguinha minha que adorava bonequinhos de pano. Escrevia tanto sobre eles
Simplesmente adorável Querida

um beijo Rose

15:59  
Blogger sotavento escreveu no papel...

E a infância, a nossa, logo ali!... :)

17:19  
Blogger Vera Cymbron escreveu no papel...

Há uma criança que tem uma boneca de pano em cada um de nós...
Lindo poema.
Jinho

18:05  
Blogger Daniel Aladiah escreveu no papel...

Querida Isa Xana
Estás linda com a boneca de pano, Há tantas crianças que precisam do nosso amor. Se partilhas o teu coração com elas, terás sempre um anjo contigo...
Um beijo
Daniel

18:07  
Blogger MarPuro escreveu no papel...

Querida Amiga,
finalmente consegui entrar no teu blog: passam-se muitos dias que tento abrí-lo, mas ele recusa-se a deixar-me escrever para ti, apesar de o conseguir lêr. Mas acho que já sei como o fazer. Hoje entrei a pensar: deixa lá ver se ela ainda continua com a mesma pujança... ou será que é fogo ateado com toda a lenha que se tem, enorme, poderoso, mas que depois não tem nem mais um graveto que mantenha acesa a labareda para a fria noite que se aproxima... mas, Isa, tu sabes apanhar lenha na selva de pedra: sabes onde está o Combustível de nossa Alma, a Energia do nosso foguetão... publica isto, menina: Portugal precisa que pessoas assim se revelem... não te escondas... não tenhas medo de te mostrar... o Amor tem que se manifestar, tem que se manifestar, tem que se manifestar...

Dualeto

www.marpuranima.blogspot.com

21:09  
Blogger lique escreveu no papel...

Tantas crianças que precisam de amor. Tantas que nem bonecas de pano têm! Lindo, o teu poema. Beijinhos

23:17  
Blogger Betty Branco Martins escreveu no papel...

Que todas as crianças do mundo tenham uma "boneca de pano" e que se lhe dê muito amor num simples mas "significativo" dar de mão.

Lindo... o teu "Criança da boneca de pano"

Um beijo
Betty

01:39  
Anonymous Taliesin escreveu no papel...

Oi emocionante esse poema, senti o meucoraçãoficar apertadinho durante a leitura
Beijos

09:09  
Anonymous Menina_marota escreveu no papel...

Eu ainda guardo essa boneca de pano...

Não tenho conseguido comentar... Volto logo. Deixo-te um beijo ;-)

11:56  
Blogger Joao escreveu no papel...

É muito bonito o poema :) Faz lembrar as coisas simples e mágicas da vida, de que a cidade e o bulício tanto nos afastam por vezes.
Era bom que a tristeza se transformasse em brisa passageira, em vez desse nevoeiro cerrado a que convida esta nova ritualidade absurda; era bom que pensassemos todos um bocadinho nisso.

Gostei que tivesses passado no meu cantinho :) Aparece sempre que quiseres

Um beijinho

13:08  
Blogger CLIK escreveu no papel...

Gostei de visitar o teu blog...boas narrativas aqui estão presentes...
Saudações Bloguianas!

18:56  
Blogger AS escreveu no papel...

Isa, tanta ternura!... És linda...

Um beijo grande

22:40  
Anonymous martini zé escreveu no papel...

tocante, no mínimo...estou a ver que tens bom gosto nos poemas...mt mt fixe...continua ;) bju

23:16  
Blogger Å®t_Øf_£övë escreveu no papel...

As crianças falam sempre a verdade.Por isso há que escutá-las.Todos nós teriamos as mesmas reacções dessa criança se não tivessemos amor.O amor é tão importante para a nossa vida....
Boa semana.
Bjo.

00:00  
Blogger BlueShell escreveu no papel...

Lido poema...como lidas são as crianças....Jinho, BShell

00:12  
Blogger O Micróbio escreveu no papel...

Uma boneca com muito para contar!

11:13  
Blogger gato_escaldado escreveu no papel...

gostei da tua boneca. e das tuas escolhas. agradeço a visita ao "gato-na-paisagem.blogspot.com"

volta sempre. abraço

11:34  
Blogger D escreveu no papel...

hum..
tão doce minha querida (:

13:26  
Blogger Estrela do mar escreveu no papel...

...Isa...ao ler-te...fiquei arrepiada...conseguiste transmitir através das tua belas palavras...sentimentos que infelizmente muitos ainda ignoram...parabéns...

Um beijinho* grande.
Tem uma boa semana.

13:42  
Anonymous Menina_marota escreveu no papel...

Minha querida Isa...

Não sei ainda bem porquê, mas não conseguia comentar o teu Blog.

Já aqui tinha estado, a escrever sobre este poema, que achei fabulosamente sensivel. Mas, a mensagem que te escrevi na altura perdeu-se e, agora já não tenho a inspiração que ao ler pela primeira vez, me despertou.

De qualquer forma, quero aqui deixar-te um beijo pela beleza dele e da foto, que não podia ser mais adequada.

Abraço :-)

11:56  

Enviar um comentário

<< Voltar ao papel