terça-feira, 1 de março de 2005

Ponte da memória




Atravessei a ponte da memória.
Corri sem olhar para trás,
sem ver o destino.
Só sentia os meus pés
tocando a velha madeira,
o ar acariciando as minhas faces,
os meus olhos em água salgada convertidos,
o meu corpo cansado,
a minha alma ferida.
Atravessei a ponte sem ternura,
sem querer o que para trás deixava,
o que eternamente ficava,
como roupas usadas num baú antigo.
Só queria percorrer a ponte sem demora
e chegar no fim esperado
para um poderoso recomeço.
Terminar o caminho
que me atormentava
e libertava
em doses tão iguais
como metades da mesma flor.
Atravessei a ponte da memória
e sei mais pensar,
sem mais temer,
apaguei o passado e o presente
e deixei o futuro na mente
para ser o novo agora.
E com alma branca cheguei.
Olhar cristalino no rosto.
E com lábios puros sorri
ao novo dia
que brotava.

Raphaela Blat

18 Lápis no papel:

Blogger Delírio da Loirinha escreveu no papel...

Ola!
Poema lindo... merece um sorriso e um beijinho :)

17:33  
Blogger soldeinverno escreveu no papel...

nasceste de novo... deixaste o negro e pintaste a alma de branco... admiro a tua coragem... nem sempre temos coragem para recomeçar... jinhuz

18:12  
Blogger D escreveu no papel...

Cada vez te superas mais!
ta lindissimo mesmo...
e hoje identifico-me muito com ele.
A tua escrita transmite uma grande força. parabens :) 1bjinho***

19:33  
Blogger Carlos Barros escreveu no papel...

são pontes, que nos levam a lugares longincuos, que nos fazem passar para a outra margem furiosa e abundantemente.

19:37  
Blogger Daniel Aladiah escreveu no papel...

Querida Isa Xana
Gostei... mas mal comecei a ler, imaginei-te nessa correria louca e nua, deixando também a roupa para trás... perdoa a crueza, mas sou sincero sempre no que penso e digo, e a pureza de renascer passava por essa visão da pele nua...
Um beijo
Daniel

19:49  
Anonymous martini zé escreveu no papel...

sim.. ax vezes mais vale mesmo atravessar a ponte e eskecer ax águas paxadas... olhar po presente e vive-lo c garra...e sonhar c o futuro, quiçá... ;)

21:46  
Blogger Kal escreveu no papel...

lol, o teu poema fez-me lembrar akela cena do Matrix: Reloaded "I'm not here because of the past that lies before me, but for the path that lies behind me!" - Morpheus à multidao... lol, n tem mt a haver eu sei, mas n pude deixar de me lembrar. =D eu e estes filmes... lol, beijo

22:00  
Blogger litle lucy escreveu no papel...

que lindo, magnifico diria eu:)

beijo doce rose***

23:29  
Anonymous meialua escreveu no papel...

Olá em primeiro lugar vim agradecer a visita.
Depois vim te dizer que sim, que conheço Eugénio de Andrade e que em posts mais antigos também tenho poesias dele.
Gostei muito deste poema.
Espero que apareças mais vezes. Beijos*

09:58  
Anonymous leonor escreveu no papel...

Isa...

desta vez venho comentar as palavras que deixas no meu blog quando o visitas

mais uma vez confirmas a minha ideia da gente alentejana: aberta, sincera e fresca no seu sorriso para os outros.

Bem hajas, miúda

10:08  
Blogger Vab escreveu no papel...

ahh mas/max vocês/voÇês/voxês acabaraUm? deixa tar LINDAH isso/ixu passa/paxa. vaix (não me apetece/apetexe por a outra versão/verxão, que por acaso até é a correcta, LOL!!) ó páh, sei lah... só te digo: Xê uma bailarina se assim o kixerex...
Mais um bonito poema da Raphaela Blat. vou deixar de dixer k tá bonito, pk já o tinha vixto antex de todox voxês e depoix canxa tar xempre a dixer k ta muito xxxxiro.
(...)
lol
Beijocas primona

12:18  
Anonymous Clara Isasknovit escreveu no papel...

Oi!? Tematizar a memória é sempre um brinde as virtudes do coração! Muito
bom! Bjs!

12:26  
Blogger webdreamer escreveu no papel...

Na corrida sobre a ponte da memória, não podia ser mais verdade: não tememos quando esquecemos passado e presente; e um dia temos mesmo que os apagar e atravessar. E, ainda assim, é necessário, um dia decidir-mo-nos, e atravessarmos tal passagem e chegarmos
"ao novo dia
que brotava".

12:30  
Blogger AS escreveu no papel...

As pontes são sempre passagem para qualquer lado!
Entre o presente e o ausente, entre as certezas e as dúvidas, entre o conformismo e a aventura. Não é por isso de estranhar que a sua travessia suscite sempre alguma hesitação... Ainda bem que ousaste atravessá-la!...

13:04  
Blogger O Micróbio escreveu no papel...

Será esta ponte apenas uma passagem...

15:10  
Blogger lique escreveu no papel...

Belo poema, Isa! Quantas vezes temos que atravessar a ponte da memória e deixar para trás o que nos impede a felicidade!
Obrigada pelo teu carinho lá no meu blog, ontem. Beijinhos

21:25  
Blogger Betty Branco Martins escreveu no papel...

Isa, PARABÉNS!
Belo poema: "As pessoas escolhem a cegueira,
continuar sem ver o belo,
porque estão muito atarefadas
como abelhas.
As pessoas preferem olhar-se somente
e não olhar os outros".

Um beijo

Betty

16:10  
Anonymous Menina_marota escreveu no papel...

"...apaguei o passado e o presente
e deixei o futuro na mente
para ser o novo agora.
E com alma branca cheguei.
Olhar cristalino no rosto.
E com lábios puros sorri
ao novo dia
que brotava."

O futuro é teu...e, nele terás contido, todos os teus sonhos, todos os teus sorrisos, tudo o que acalenta a tua alma...
Obrigada pela partilha que nos dás...
Abraço ;-)

10:28  

Enviar um comentário

<< Voltar ao papel