terça-feira, 3 de maio de 2005

Alma, um livro aberto





Perfume de alfazema no ar.
Sabes como gosto desse aroma.
Uma borboleta de suaves tons
voa, inquieta,
em torno de um livro aberto.

A tua alma, meu amor,
de sorrisos transborda,
de sorrisos se veste,
e, só de ver,
jasmins caem no meu colo
num deleite.
A tua alma, meu querido,
de carmim se pinta,
amor que te povoa,
capitão de uma caravela antiga,
branca.
Mas, por vezes, meu bem,
vejo gotas de tristeza
nessa tua alma de pétalas de amor-perfeito
e, antes que seja chuva ou tempestade
e que se afoguem nelas
a cor e os sorrisos,
meus frágeis braços te afagam
e trazem sol e calor
para secar as gotas fugidias.

Uma harpa de fios de oiro toca e só tu ouves.
Uma pequena borboleta voa
com suas pequenas asas
em torno de um livro aberto,
a tua alma,
e só tu vês.

Raphaela Blat


P.S.: Hoje apresento-me no Histórias do prédio ao lado:) e claro que a minha personagem tem algo que ver com o Islamismo lol
P.S. 2: Como não tenho já trabalho que me chegue ainda arranjo mais... bem, tenho outro blog, o Menina das amoras de prata... creio que lá postarei somente uma vez por semana e pretendo criar uma personagem também, como no Histórias do prédio ao lado, mas uma personagem bem bem diferente.
Se quiserem, visitem-me nestes dois cantinhos:)

19 Lápis no papel:

Blogger Daniel Aladiah escreveu no papel...

Querida Isa
Mais uma vez, parabéns à Raphaela que está em ti.
Um beijo
Daniel

18:00  
Blogger La Luna escreveu no papel...

tão lindo...
beijo fofo

19:41  
Anonymous A. Duarte e Lázaro escreveu no papel...

Belíssima conjugação de sons e letras. Gostei especialmente da citação de Bocage. O amor consome-nos...

20:48  
Anonymous zezinho escreveu no papel...

Perante o belo, extasio-me.
O beijo.

20:58  
Blogger Kal escreveu no papel...

Acho que te prefiro como poeta, lol :P tenho gostado + dos teus ultimos poemas do que ha um tempo atras qd te conheci. beijo

22:08  
Blogger AS escreveu no papel...

Lindo, lindo, lindo, bela poeta!...

Um beijo

22:35  
Blogger Tbb escreveu no papel...

(...) so tu ouves(...) so tu ves.
Gostei particularmente desta parte, a parte do interior, a nossa parte, a nossa "leitura" das coisas que se passam conosco! Gostei do poema em geral mas essa parte, fez-me refletir mais do que o resto :) bj

00:13  
Anonymous ferrus escreveu no papel...

Gostei muito, é um poema lindissimo, simples, como todos eles o são...Obrigado pela tua visita no meu cantinho e pelas tuas palavras. Bjitos

00:47  
Blogger BlueShell escreveu no papel...

Que posso dizer mais...senão: Excelente!!!
Jinho, BShell

01:20  
Blogger Lana escreveu no papel...

:) Gostei.. e adoror as referencias a borboleta :) hehe ***

03:33  
Blogger agua_quente escreveu no papel...

Lindo, Isa! Um lindo poema transbordante de amor. Beijo grande

14:37  
Blogger O Micróbio escreveu no papel...

Que tens tu nesse teu livro? Flores ou palavras? Serão porventura rosas, como a Rainha Santa...

14:51  
Blogger D escreveu no papel...

que beleza de texto!
é claro quue aceito esse abraçinho:)
és uma querida!
hoje estou melhor,passei no exame de conduçãoooooo
:)
****

15:39  
Anonymous Taliesin escreveu no papel...

Amei a sua poesia amiga, nossa a forma q vc escreve é linda, q transmite a emoção
Beijão

15:43  
Blogger Luis Duverge escreveu no papel...

Alma um livro em que as palavras voam ao encontro dos nossos sentidos.
Que bela paisagem aqui nos deixas ...
Um beijo.

19:18  
Anonymous zezinho escreveu no papel...

tens uma iamginação prodigiosa!
Os nomes que deste aos outros blogues são fabulosos!
Um outro beijo, já que o de ontem parece não ter chegado cá.

21:55  
Blogger Betty Branco Martins escreveu no papel...

Isa Xana

Penso que já tudo foi dito do teu LINDO poema "Alma, um livro aberto" ´

Só posso dizer: LINDO, LINDO, LINDO... e Lindo!

Um beijo

22:50  
Blogger gato_escaldado escreveu no papel...

leve adejar de borboleta. cetim puro. como perfume de alfazema. vibração de beijo. mto belo

14:14  
Blogger webdreamer escreveu no papel...

Este poema está realmente fabuloso!

14:06  

Enviar um comentário

<< Voltar ao papel