terça-feira, 26 de abril de 2005

Mais um dia




Observo,
de olhar vibrante,
perscrutador,
confiante,
o mundo fora da porta.
Um dia que começa.
As abelhas nas ruas
saem das suas colmeias
e dirigem-se,
resignadas,
às flores que lhes darão
o mel de mais um dia.
Não têm rosto.
São apenas abelhas entre abelhas,
não mais.
Garrafas de vidro sem líquido,
gastas,
sem vida.
Cruzam-se,
atropelam-se,
matam-se
pela flor que as espera,
o mel de cada dia.
E quando a noite acorda
e a lua desponta nos céus,
as abelhas resignadas
saem às ruas
com as suas colmeias
em mente.

Entro na minha colmeia,
fatigada com o que o meu olhar me contou.

O meu quarto,
o meu casulo,
reino em que sou rainha, minha colmeia.
E lá fora o bulício da cidade,
as ruas que se cruzam,
as pessoas que não param,
a vida em movimento...
É um mundo tão distante
quando as muralhas do meu quarto
me escondem
ternamente,
protectoras.
E adormeço, enfim.


Raphaela Blat

14 Lápis no papel:

Blogger Betty Branco Martins escreveu no papel...

"Mais um dia" as abelhas (pessoas) nos seus casulos, onde no sentimos protegidos. O dia à dia faz-nos parecer abelhas ferozes na labuta de criar mais "mel" e que a colmeia esteja sempre em ordem, E assim, nem nos apercebemos que "Mais um dia" passou... e não paramos para olhar o jardim, o pôr-do-sol e não demos importância ao riso ou ao choro daquela criança, que estava ali bem ao nosso lado! Tantas são as coisas que se perdem, no... Mais um dia!

Parabéns, pela intensidade, verdade deste teu poema.

Um beijo

00:50  
Blogger maresia escreveu no papel...

o teu quarto, o meu carro, os nossos aconchegos. mudam-se os meios, mas não se muda a ideia!

09:04  
Blogger André Ferreira escreveu no papel...

No meio das abelhas os rostos desaparecem, a identidade de uma passa a ser a de todas. E quando recuperada a identidade voltamos a sonhar, a ter rosto e a olhar os rostos dos outros.

Beijinhos

André

12:07  
Blogger AS escreveu no papel...

Um lindo poema querida abelhinha!... Tem a doçura do mel!

Bjs

13:47  
Blogger Fernando B. escreveu no papel...


Um Hino à Mãe Natureza, muito Belo, que eu presenteio com os meus Cravos Vermelhos.

Beijocas,

14:33  
Blogger Iluvatar escreveu no papel...

Hmmm...que se pode dizer, adorei o poema, demasiado inspirador, demasiado vivido e sentido, muitos parabéns, continua assim, torna-se demasiado aconchegador saber que há palavras escritas por uma qualquer pessoa que faz com que a vida de todos nós não foi e não é em vão.
beijinhos Pedro

16:05  
Blogger maresia escreveu no papel...

uuhhhmmmm, um amasso... acho que quando receberes um vais saber!

17:49  
Blogger D escreveu no papel...

está linda a forma como introduziste as abelhas na história e depois o remate final.
és fantástica.
Beijo:)

19:08  
Blogger maresia escreveu no papel...

já fiz o download, podes ir ali ao lado explicar-me o resto?

19:38  
Blogger Daniel Aladiah escreveu no papel...

Querida Isa
Tão doce, lindo e relaxante, apetece espreitar o teu castelo... :)
Um beijo
Daniel

20:02  
Blogger Betty Branco Martins escreveu no papel...

Passei aqui pelo teu "cantinho"

Para
agradecer as tuas palavras de carinho ;-)

Um beijo grande

20:33  
Blogger Chocolate escreveu no papel...

Beijo meu:)
João

08:23  
Blogger webdreamer escreveu no papel...

É sempre bom haver um sítio em que nos sentimos protegidos.

13:11  
Blogger Ana Rodrigues escreveu no papel...

Olá Isa,

Adorei a forma como expuseste o teu casulo!

beijinho

08:52  

Enviar um comentário

<< Voltar ao papel