quarta-feira, 27 de julho de 2005

Moldura





Doiradas plumas caem dos céus de marfim.
Um regato de frescas águas
passa perto de meus pés,
tocando-os, suave carícia.
Jasmins nascem nos restos duma fogueira vencida.
Papoilas pingam amor
das gotas de orvalho da manhã,
pétalas de carmim vibrante.
A beleza do dia florescendo em meus olhos
faz meu rosto se transfigurar num sorriso adocicado.
E caminho de encontro ao horizonte que me espera,
tendo como moldura do meu retrato
a paisagem que fez minh'alma brilhar.

Raphaela Blat

8 Lápis no papel:

Blogger webdreamer escreveu no papel...

Linda moldura...: )

23:52  
Blogger AS escreveu no papel...

Querida Isa.. o poema é lindo, mas o teu horizonte está muito para além da moldura!...

Beijokas

12:32  
Blogger D escreveu no papel...

minha linda tenho andado ausente..
adoro a forma como colocas um pouco da natureza em tudo o que escreves.. :)
beijo

15:42  
Blogger sonhos sonhados escreveu no papel...

kerida Isa Xana

agradeço as palavras
motivadoras e lindas,
com que "baptizaste"
o meu blogue.

quero também comentar
este poema
que hoje
nos deixas...
é simples
belo
e generoso.

beijux létinha.

03:50  
Blogger Daniel Aladiah escreveu no papel...

Querida Isa Xana
Para além das palavras... a moldura em que te vejo refugiada atrás da mão... psicanalítico?... ou os teus lábios são mistério?
Um beijo
Daniel

09:55  
Blogger sotavento escreveu no papel...

Moldura mas sem contornos definidos!... :)

12:22  
Blogger Lana escreveu no papel...

mim vai-se ausentar..protanto..fica o jinho =)

00:34  
Blogger Squeezy escreveu no papel...

é essa moldura k nos deve fazer seguir em frente...

20:14  

Enviar um comentário

<< Voltar ao papel