sexta-feira, 4 de fevereiro de 2005

Amor em punhal




Porque me feres tanto
com esse punhal afiado
que carregas contigo
sempre que me procuras?
Porque me feres tanto
com o gume desse punhal?

Sempre te amei.

Mais do que tudo.
Mais do que a mim mesma.
E tu atacas-me
com o punhal que eu mesma te dei.
A culpa é minha
porque te confessei o meu amor.
Coloquei-me em tuas mãos.

Entreguei-te a valiosa arma perfurante.
Dei-me a ti
inteiramente.

Às vezes peço para o tempo voltar atrás,

atrás quando ainda não te conhecia,
quando ainda não te tinha entregue esse punhal.

Se não te tivesse encontrado na minha vida,
não me teria rendido assim
e não teria sido atacada
com o punhal que eu mesma te dei.

Se não te tivesse encontrado na minha vida,

nunca me teria sentido
tão amada,
tão protegida,
tão amparada,
mas depois
vem esse punhal
e saio ferida
e magoada
e entristecida.

Eu só quero ser feliz.
Faz-me feliz,
por favor.
Não me magoes
porque não mereço.
Faz-me feliz
e guarda para ti
o punhal que eu mesma te dei.

Raphaela Blat

12 Lápis no papel:

Anonymous Anónimo escreveu no papel...

Ás vezes o amor vinga-se em nós, mas é sempre coisa passageira... deixa que ele volte, porque há-de voltar sem o punhal!

http://cem-ideias.blogspot.com

02:37  
Blogger lady-bird escreveu no papel...

Só nos pode fazer feliz quem não tem um punhal em riste, não será? Quando procuramos o amor em alguém assim, acabamos por nos apunhalar a nós próprios... e não se pode dizer que seja pelas costas.

09:54  
Blogger O Micróbio escreveu no papel...

A entrega pode ser cruel por vezes... mas como a paixão é cega, sabemos lá o que colocamos nas mãos de quem nos recebe!!

12:31  
Blogger Menina_marota escreveu no papel...

O coração faz as escolhas e, por vezes não são as melhores...
Mas, cabe-nos saber ultrapassar o coração e ouvir a voz da razão...

Ama-te a ti primeiro e, não deixes que ninguém te fira...
Um abraço e bom fim de semana, com momentos felizes :-)))

http://eternamentemenina.blogs.sapo.pt/

14:54  
Blogger ricardo escreveu no papel...

e é pelo medo da ferida que se sente mais. e é pela força do amor que se teme mais. a vida são momentos. os momentos do amor e do punhal. os momentos. cabe-nos a nós resistir. viver. ser. feliz. um beijinho

(será que me podias enviar esta linda música para o meu mail teatrodaspalavras@portugalmail.pt)? bigado

19:25  
Blogger Taekwondo em Lamas e Escapães escreveu no papel...

Amar é sofrimento...mas ferir não é amar....Bjs!!

02:50  
Blogger litle lucy escreveu no papel...

"O amor é dolorosamente belo"
Bonitas palavras****Rose:)

11:49  
Blogger Ritinha escreveu no papel...

Ai como esta a minha priminha.
Por mais que se ame,não se pode admitir que nos façam sofrer.Amar não é sofrer. Se a pessoa realmente nos ama, nunca mas nunca nos faz sofrer a esse ponto. Será que te ama, como o amas a ele??????
Jocas

14:30  
Blogger Baixinho escreveu no papel...

Desculpa lá Márise de não vir ao teu blog mas com as frequências nem tenho tido tempo de tomar banho, por isso mesmo, devido ao cheiro, já fui espulso de casa.
Era só pa dizer que já tnho post's novos e que "Epá miúda, tens talento" Mái nada.

***************** gaja

21:33  
Blogger Estrela do mar escreveu no papel...

...o amor tem altos e baixos...e por vezes é deveras dificil encontrar a nossa alma gémea...mas nunca se entrega os trunfos...temos que olhar em frente...e acreditar...que a felicidade a dois...vai chegar...mesmo que por vezes o percurso seja doloroso...mas acredita...

Um beijinho*.

00:23  
Blogger Å®t_Øf_£övë escreveu no papel...

Isa,
Quando o nosso amor utiliza as armas que lhe demos por amor,de uma forma indevida,o melhor é afastarmo-nos o quanto antes,porque isso significa que estamos a viver um amor não correspondido.
Beijinhos.

23:24  
Blogger lique escreveu no papel...

Acontece entregarmo-nos e termos esse retorno. O amor é uma coisa complicada. Beijinhos, linda.

18:11  

Enviar um comentário

<< Voltar ao papel